Gostaria de ouvir sobre o que é síndrome metabólica? Dê play no áudio abaixo:

Hoje iremos entender um pouco melhor o que é síndrome metabólica.

A síndrome metabólica representa um grupo de alterações no metabolismo do corpo humano.

Antes de mais nada, é importante entender que estas alterações incluem hipertensão, obesidade abdominal, resistência a insulina, alterações no nível de gordura do sangue que está altamente associada a diabetes e doença cardiovascular

Neste sentido, a síndrome metabólica nada mais é que a resistência à ação da insulina – hormônio responsável pelo metabolismo da glicose – daí também ser conhecida como síndrome de resistência à insulina.

Desta forma, a insulina age menos nos tecidos, obrigando o pâncreas a produzir mais insulina e elevando o seu nível no sangue.

Fatores que contribuem para a síndrome metabólica

Importante pontuar alguns dos fatores que contribuem para o seu aparecimento.

Em síntese, consideremos então os fatores genéticos (herança familiar), e também os oriundos da ausência de atividade física, como o  excesso de peso (principalmente na região abdominal).

Desta forma, é importante salientar que a síndrome metabólica é uma doença da civilização moderna, associada à obesidade, trazendo como resultado uma alimentação inadequada e o sedentarismo.

Logo, esta patologia aumenta consideravelmente o risco de uma pessoa ter ataque cardíaco e acidente vascular cerebral.

A prevalência da síndrome metabólica é de 20% nos EUA e de 25% na Europa. E cerca de 10% dos adolescentes dos EUA são portadores dessa síndrome.

Tudo isso, devido à tendência genética, que  associado a aumento de peso e sedentarismo, leva  ao processo inflamatório crônico. 

Diante disso, apresentamos neste artigo, algumas formas de tratamento.

Porém, acreditamos que mais importante que apontar formas de tratamento e apresentar as maneiras de prevenção, buscando assim uma qualidade de vida superior.

Tratamento para síndrome metabólica

Neste sentido, o tratamento envolve a diminuição do peso, a introdução de atividade física regular e em muitos casos o uso de medicamentos como as estatinas.

Essa diminuição do peso está diretamente associada à prática de atividades físicas e uma boa alimentação.

Há estudos que fazem referência a alimentos que diminuem o processo inflamatório.  Desta forma, acreditamos que estes podem e devem ser inseridos em uma dieta, visando hábitos alimentares mais saudáveis.

Aqui vão alguns deles, por exemplo: açafrão, alho, canela, bergamota, resveratrol – presente em uvas e nozes, quercetin – presente em cebolas e alguns chás.

Seja como for, neste sentido é importante lembrar que estes alimentos não são milagrosos.

Por esse motivo, associar uma dieta equilibrada e acompanhados de hábitos saudáveis, com adoção de exercícios físicos, podem sim aumentar  as chances de melhora.

Atenção e Cuidado

Neste sentido é importante  salientar que a adoção de qualquer novo hábito precisa ser guiada por uma orientação médica, com acompanhamento clínico e realização de exames periódicos.

Esperamos que tenha gostado desse artigo e caso tenha interesse em entender mais sobre a Síndrome Metabólica, aconselhamos buscar informações também no site da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia 

 

Até breve.

Mega Imagem

Mega Imagem

A clínica Mega Imagem é referência no diagnóstico por imagem na Baixada Santista.