No artigo de hoje vamos entender o que é a diabetes e seus tipos.

O que é a diabetes?

Diabetes é uma doença crônica, onde o corpo não produz insulina ou não consegue utilizar adequadamente a insulina que produz.

Mas o que é insulina? É um hormônio que controla a quantidade de glicose (açúcar) no sangue. O corpo precisa desse hormônio para utilizar a glicose, que obtemos por meio dos alimentos, como fonte de energia.

Quando a pessoa tem diabetes, o organismo não fabrica insulina e não consegue utilizar a glicose adequadamente.

O nível de glicose no sangue fica alto, e esse fenômeno leva o nome de hiperglicemia. Se esse quadro permanecer por longos períodos, poderá haver danos em órgãos, vasos sanguíneos e nervos.

E você sabe onde é produzido a insulina? 

Pâncreas

O pâncreas é um órgão localizado atrás do estômago que produz algumas enzimas importantes. Em condições rotineiras, quando o nível de glicose no sangue sobe, células especiais, chamada célula beta, produzem insulina. 

Desta forma, de acordo com as necessidades do organismo no momento, é possível determinar se essa glicose vai ser utilizada como combustível para as atividades do corpo ou será armazenada como reserva, em forma de gordura.

Isso faz com que o nível de glicose ou taxa de glicemia no sangue volte ao normal.

E você sabe quais são as categorias de diabetes?

Diabetes tipo 1

Em algumas pessoas, o sistema imunológico ataca equivocadamente as células beta.

Logo, pouca ou nenhuma insulina é liberada para o corpo. Como resultado, a glicose fica no sangue, em vez de ser usada como energia.

Esse é o processo que caracteriza o Tipo 1 de diabetes, que concentra entre 5 e 10% do total de pessoas com a doença.

O Tipo 1 aparece geralmente na infância ou adolescência, mas pode ser diagnosticado em adultos também. Essa variedade é sempre tratada com insulina, medicamentos, planejamento alimentar e atividades físicas, para ajudar a controlar o nível de glicose no sangue.

Diabetes tipo 2

O Tipo 2 aparece quando o organismo não consegue usar adequadamente a insulina que produz; ou não produz insulina suficiente para controlar a taxa de glicemia.

Cerca de 90% das pessoas com diabetes têm o Tipo 2. Ele se manifesta mais frequentemente em adultos, mas crianças também podem apresentar.

Dependendo da gravidade, ele pode ser controlado com atividade física e planejamento alimentar. Em outros casos, exige o uso de insulina e/ou outros medicamentos para controlar a glicemia.

Diabetes Gestacional

Durante a gravidez, para permitir o desenvolvimento do bebê, a mulher passa por mudanças em seu equilíbrio hormonal.

A placenta, por exemplo, é uma fonte importante de hormônios que reduzem a ação da insulina, responsável pela captação e utilização da glicose pelo corpo. O pâncreas, consequentemente, aumenta a produção de insulina para compensar este quadro.

E você sabe qual a importância no sono para a diabetes?

Dormir é importante para o metabolismo. Existem estudos que sugerem  que distúrbios do sono, ou seja, a pobre qualidade do sono, apnéia ou a restrição ao sono podem aumentar a chance de diabetes.   

Fatores fisiológicos como resistência a insulina, diminuição da leptina, aumento da grelina,  inflamação e fatores comportamentais como aumento da ingestão de alimentos e álcool, predispõe a diabetes. 

E dentro desse contexto, a obesidade também é um fator que aumenta o risco.

Portanto, a duração insuficiente de sono é considerado um problema de saúde pública sendo associado com doenças cardiovasculares, aumento de peso, obesidade, diabetes e estresse.

Recentemente  a American Academy of Sleep Medicine and Sleep Research Society recomendaram pelo menos 7 horas como um sono adequado para manter a saúde.

Um período menor do que 7 horas é considerado inadequado para a saúde metabólica.

O ideal seria entre 7 a 9 horas, porém não há consenso se mais do que 9 horas seria apropriado.

Portanto,  A American Thoracic Society  entrou em um consenso de que menos do que 6 horas de sono seria insuficiente, aumentando o risco de doenças entre elas a diabetes. 

Ou seja, um sono regulado e bons hábitos diminuem o risco de aparição da diabetes e de outras doenças.

Não deixe de fazer seus exames de rotina e consultar seu médico.

Já acompanha as nossas redes sociais? Não deixe de acessar nosso Instagram  e  Facebook.

Espero que tenha gostado desse artigo, até breve.

Rafaélla Mantovani

Rafaélla Mantovani

Comunicação e Marketing Digital na Clínica Mega Imagem.