Chocolate. Com certeza nenhuma introdução é necessária quando falamos de um alimento tão milenar quanto ele. Mas afinal ele apresenta benefícios a saúde?

 Primeiramente, destacamos que para o chocolate se tornar a versão que conhecemos, seu processo para por algumas etapas. As sementes (ou grãos) são extraídas da vagem e fermentadas, secas e torradas no que reconhecemos como grãos de cacau.

Então, as cascas do feijão são então separadas da carne, ou nibs de cacau. Os nibs são moídos em um líquido chamado licor de chocolate e separados da parte gordurosa, ou manteiga de cacau. O licor é posteriormente refinado para produzir os sólidos de cacau e chocolate que comemos. 

O chocolate amargo contém 50-90% de sólidos de cacau, manteiga de cacau e açúcar, enquanto o chocolate ao leite contém de 10 a 50% de sólidos de cacau, manteiga de cacau, leite em alguma forma e açúcar.

Embora o chocolate amargo não deva conter leite, pode haver vestígios de leite de contaminação cruzada durante o processamento, já que a mesma máquina é frequentemente usada para produzir tanto o chocolate ao leite quanto o amargo.

Importante lembrar que chocolates de qualidade inferior também podem adicionar gordura de manteiga, óleos vegetais, cores ou sabores artificiais. O chocolate branco não contém sólidos de cacau e é feito simplesmente de manteiga de cacau, açúcar e leite.

Chocolate como fonte de nutrição

O chocolate contem:

  • Ferro
  • Cobre
  • Magnésio
  • Zinco
  • Fósforo
  • Flavanols

Chocolate Amargo e Saúde

O cacau é rico em substâncias químicas vegetais chamadas flavonoides que podem ajudar a proteger o coração

O chocolate amargo contém até 2 a 3 vezes mais sólidos de cacau ricos em flavanol do que o chocolate ao leite. Foi demonstrado que os flavonóis apoiam a produção de óxido nítrico (NO) no endolécio (o revestimento interno das células dos vasos sanguíneos) que ajuda a relaxar os vasos sanguíneos e melhorar o fluxo sanguíneo, reduzindo assim a pressão sanguínea.

Flavanóis no chocolate podem aumentar a sensibilidade à insulina em estudos de curto prazo; a longo prazo, isso pode reduzir o risco de diabetes

Alguns estudos

Estudos observacionais apoiam os benefícios dos flavonoides do cacau.

A ligação entre a pressão arterial e a alta ingestão de cacau foi descrita em um estudo dos índios Kuna, uma tribo isolada que vive na costa caribenha do Panamá. 

A hipertensão era extremamente incomum nesse grupo, mesmo em idades mais avançadas, e mesmo com uma ingestão de sal na dieta maior do que a da maioria das populações ocidentais.

Quando os Kuna migraram para ambientes urbanos e mudaram suas dietas, suas taxas de hipertensão aumentaram, notavelmente, sua ingestão tradicional de cacau como bebida era muito alta, com mais de cinco xícaras diárias de cacau em pó caseiro ou colombiano, rico em flavonoides.

Neste sentido, outros estudos observacionais sugerem uma ligação entre a alta ingestão de cacau ou chocolate de 6 gramas por dia (1-2 quadrados pequenos) e um risco reduzido de doenças cardíacas e mortalidade, possivelmente em parte pela redução da pressão arterial e inflamação. 

O chocolate amargo é rico em calorias (150-170 calorias) e pode contribuir para o ganho de peso se ingerido em excesso.

No entanto, o chocolate, assim como as nozes, pode induzir a saciedade, então as implicações de longo prazo para o controle de peso não são claras. 

Além disso, ele também contém uma quantidade moderada de gordura saturada, que pode afetar negativamente os níveis de lipídios no sangue, embora seus efeitos protetores cardíacos dos flavonóis pareçam superar o risco. 

Desta forma, escolher chocolate amargo e comer quantidades modestas pode oferecer os maiores benefícios à saúde.

Compra e armazenamento

  1. Escolha os chocolates com 70% de cacau para obter o máximo de flavonoides. Porém, tenha em mente que quanto maior a porcentagem de sólidos do cacau, maior será o sabor amargo.
  2. Armazene em uma área fresca e seca, em um recipiente hermeticamente fechado. Não refrigerar, pois, pode trazer  uma camada esbranquiçada (causada pelo açúcar).
  3. Se armazenado corretamente, o chocolate amargo pode durar até dois anos.

Você sabia?

O cacau é às vezes tratado com álcali (uma base, sal iônico de um metal alcalino ou de um elemento metal alcalinoterroso) ou processado holandês, para melhorar o sabor e a aparência. 

No entanto, isso causa uma perda significativa de flavonoides. O cacau natural, encontrado no corredor de cozimento, retém a maioria dos flavonoides. 

  • Quanto maior a porcentagem de sólidos do cacau, maior o teor de cafeína. Duas partes de chocolate amargo a 70% contêm cerca de 50-60 mg de cafeína. Em comparação, uma xícara de café de 240 ml contém 100-200 miligramas de cafeína;
  • Se o seu “esbranquiçou”, não há necessidade de jogá-lo fora! Você pode derreter o chocolate, mexendo bem e, em seguida, permitindo que esfrie lentamente até ficar sólido;
  •  Ele é derivado de um processo intensivo de cultivo, colheita e transporte, muitas vezes empregando mão de obra mais barata ou infantil no exterior. O chocolate com o rótulo “Comércio Justo” certifica que o chocolate foi fabricado com um salário justo e com a exclusão do trabalho infantil.
Kelma Yaly

Kelma Yaly

Consultora de Marketing de Conteúdo e Performance para Mega Imagem.