No texto de hoje, iremos falar um assunto importante e que é o tema deste mês de Agosto. O Aleitamento Materno

Este mês de agosto é conhecido como Agosto Dourado por simbolizar a luta pelo incentivo à amamentação – a cor dourada está relacionada ao padrão ouro de qualidade do leite materno.

 A Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano afirma que consegue suprir apenas 60% da demanda para os recém-nascidos prematuros e de baixo peso internados nas UTIs neonatais do país. 

Além disso, 30% do leite doado é considerado impróprio e não pode ser destinado às crianças. Na maioria das vezes, isso ocorre porque os cuidados na retirada do leite não são feitos de forma correta.

Vamos entender um pouco sobre o aleitamento e sobre como funciona o Banco de Leite Materno. E para isso convidamos a Dra Teresa Maria Isaac Nishimoto, pediatra e supervisora do Banco de Leite do Hospital Guilherme Álvaro, em Santos, para falar um pouco sobre o aleitamento na nossa região. 

Como funciona o banco de leite?

O banco de leite fornece leite para os bebês que estão internados e não podem ser amamentados pela própria mãe ou que precisam ficar internados na UTI e muitas vezes a mãe não pode ter contato. 

Dessa forma, essas mães extraem seu próprio leite para alimentar o seu bebê e também outros, caso o leite seja compatível com as necessidades do bebê.  

O banco também recebe doações externas.

Banco de Leite Humano Keiko Miyasaki Teruya

Quem pode doar e como se cadastrar?

Qualquer mulher saudável, que esteja amamentando e produza mais leite do que o necessário para o seu bebê pode se tornar uma doadora. Basta entrar em contato com o banco de leite mais próximo de você.

Depois, é só preencher um cadastro dando informações sobre o pré-natal e sobre a sua situação atual, alegando se toma algum medicamento, fuma ou se tem algum problema de saúde.

Covid-19 e o aleitamento materno

Mesmo que as mães estejam com o vírus, não se deve pausar a amamentação. Elas podem continuar, mas tomando os devidos cuidados. Sempre higienizar as mãos, fazer o uso da máscara e higienizar o peito onde o bebê irá mamar.

Contudo, para doadoras em tempos de Covid-19 há algumas recomendações, segundo a Dra Teresa. As mães que apresentarem sintomas ou que testarem positivo para a doença, devem aguardar os 14 dias de isolamento que são recomendados. Após este período, podem doar normalmente.

E mesmo que a lactante não saiba que está portanto o vírus, há um processo de pasteurização do leite que mata todos os vírus presentes.

Isso serve para outras doenças também. Como afirma a Dra Teresa “A mãe precisa estar bem para doar, isso é primordial, se a saúde não está bem recomendo que aguarde e se cuide”.

Processo de coleta, pasteurização e armazenamento

As lactantes quando se cadastram para realizar a doação, recebem um kit para retirada do leite. Para que o leite seja conservado de maneira correta, a mãe deve ter alguns cuidados no momento da ordenha, como: prender os cabelos, evitar falar, lavar bem as mãos e secá-las com um pano limpo, esterilizar o recipiente de vidro com uma tampa de plástico em que irá guardar o leite.

Esse recipiente deve ser fervido em água por 15 minutos e após deve deixá-lo secar com a boca para baixo em um pano limpo. Após a coleta, as mães podem congelar o leite e entrar em contato com o banco para que seja feita a retirada.

Quando o leite chega ao banco, ele é descongelado para passar por um processo de seleção e classificação. Primeiro, é preciso avaliar o aspecto do leite e observar se ele foi armazenado e transportado corretamente. Depois, classifica-se o volume, se é colostro e se já é maduro. A partir disso,  é avaliado até a sua quantidade de gordura, já que nem todo leite pode ser dado a qualquer bebê.

Uma vez feito esse processo, acontece ainda a pasteurização e o controle de qualidade. Só depois de todas essas etapas o leite é congelado e passa a ter uma validade de seis meses.

Amamentando

Mamas próximas do real que são utilizadas para ensinar as mães como amamentar

Alguns bebês são rápidos e levam de 5 a 10 minutos para mamar. Outros, não têm pressa e levam até 40 minutos. A mãe deve continuar amamentando até o bebê perder o interesse,

pois é ele quem vai determinar o tempo suficiente. A mãe deve buscar a melhor posição, seja sentada, em pé, deitada, e oferecer o seio à criança. Deve promover uma boa ‘pega’, com a criança abocanhando a maior parte possível da aréola, para evitar fissuras.

O Banco de Leite além de incentivar o aleitamento materno com as doações, também presta serviço ensinando posicionamentos e como é o processo de amamentação. São utilizados bonecas com tamanho real dos bebês e utilizam as mamas para mostrar o processo.

Banco de Leite

O Banco de Leite Humano fica na Rua Doutor Oswaldo Cruz, 197 Boqueirão em Santos. O telefone é (13) 3202-1323.

Segundo a Dra o banco precisa de doações, pois os estoques se encontram baixos. Doe leite, doe vida!

O banco fica separado do Hospital Guilherme Álvaro, em uma casa própria para ele. Por isso, as mães que sentem medo de doar por conta disso, podem ficar tranquilas que não há contato com portadores de covid e doentes.

Reserva do Banco de Leite Keiko Miyasaki Teruya

Já acompanha as nossas redes sociais? Não deixe de acessar nosso Instagram  e  Facebook.

Espero que tenha gostado desse artigo, até breve.

Rafaélla Mantovani

Comunicação e Marketing Digital na Clínica Mega Imagem.