Recentemente fomos surpreendidos pela notícia do falecimento da jovem atriz Mabel Calzolari, 21 anos de uma doença rara chamada aracnoidite. 

A atriz teve este diagnóstico em 2019, no ano em que foi submetida a uma raquianestesia durante o parto do filho.

Este tipo de anestesia aplicada na região lombar é realizada antes da cesariana e diversos outros tipos de cirurgia. Mas não há como confirmar que a doença raríssima tem relação exclusiva com a anestesia, já que ocorrem casos em pessoas sem este histórico.

O que é aracnoidite?

Trata-se da inflamação em uma membrana muito fina que protege o sistema nervoso central, que envolve toda a coluna e o cérebro.

A função dessa membrana é proteger  o sistema nervoso do sangue e de outras partes do corpo.

A aracnoidite pode ser localizada na coluna torácica (caso da atriz), na coluna cervical, na coluna lombar e no crânio, em volta do cérebro.

O segundo nome dado ao caso de Mabel (aracnoidite torácica) é só a localização da inflamação. Quando a aracnoide é inflamada,  o tratamento é porque os remédios nesses locais porque os remédios nesses locais não atingem concentrações satisfatórias.

Como a doença pode surgir?

A aracnoidite pode surgir após entrada de algum elemento estranho, como microorganismos (bactéria ou vírus), ou alguma substância (por exemplo, sangue do próprio organismo em acidente), além de aplicação de  medicamentos e anestésicos.

Desta forma, entra nesse espaço da membrana aracnoide.

Assim, até mesmo  infecção em outro local do corpo, se tornada sistêmica (como virose), pode levar a aracnoidite, se o agente infeccioso atingir a membrana.

Enfim, trata-se de uma reação anormal do organismo na membrana aracnoide a um elemento estranho onde é gerada cicatrização e inflamação, que causam a síndrome clínica da aracnoidite, onde estes processos  podem obstruir a circulação sanguínea, comprimindo a medula e os nervos.

Os sintomas são sensação de fraqueza, paralisias e até disfunção de nervos que comandam funções vitais com relacionadas a circulação e respiração.

Embora esses quadros mais graves e fatais (como da atriz) não são tão frequentes, nessa doença já tão rara.

O principal sintoma geralmente é a dor, que pode ser no local da inflamação, ou atingir as nádegas, pernas e pés,  devido ao processo inflamatório que atinge os nervos.

Muito raramente, quando atinge a região do crânio, essa inflamação também pode dar cefaleia, sonolência e alteração mental.

Ressalta-se  que a aracnoidite pode não surgir imediatamente  após uma infeção, acidente ou procedimento médico, podendo levar desde horas  até meses para se manifestar

Como são feitos o diagnóstico e tratamento?

Diante de algum dos vários sintomas acima citados, geralmente o médico deve em algum momento solicitar o exame de Ressonância Magnética,  sendo o exame de imagem mais preciso para avaliação da medula e dos nervos, ainda mais quando os sintomas persistirem após tratamento padrão inicial e se exame mais simples, como RX não indicarem alterações significativas.

A Ressonância pode então mostrar alterações que sugerem este raro diagnóstico, diferenciando o quadro de alteração mais comuns que podem causa sintomas parecidos como artrose, hérnias e outras inflamações medulares.

Uma vez confirmada, a aracnoidite pode ser curada, mas nem sempre, ou então  controlada.

Ou seja, os sintomas podem se estabilizar e parar de piorar. Portanto, não necessariamente a  doença vai evoluir e é muito raro que a pessoa morra de aracnoidite, com neste caso de Mabel.

A maioria dos pacientes terá sintomas que irão flutuar de intensidade e manifestações que poderão ser controlados através de  medicamentos, principalmente para aliviar a dor e controlar a inflamação e eventualmente estimulações medulares,  em pouquíssimo casos cirurgias para remover as cicatrizes.

 

 

 

Kelma Yaly

Kelma Yaly

Consultora de Marketing de Conteúdo e Performance para Mega Imagem.