O aneurisma cerebral, também chamado de aneurisma intracraniano, é uma dilatação anormal que se dá em uma área de enfraquecimento da parede de uma artéria. 

O aneurisma  pode ocorrer em qualquer artéria do organismo, como as de coração, rim e abdômen. Mas no cérebro é especialmente importante, devido as severas complicações decorrentes de uma eventual ruptura ou compressão sobre as estruturas neurais adjacentes.

A maior parte dos aneurismas são silenciosos e não apresentam sintomas. As complicações geralmente ocorrem naquelas lesões de maiores dimensões.

Dentre as causas que os determinam temos as congênitas e mais raras como Má Formação Artério Venosa (MAV) , síndromes diversas ou a displasia fibromuscular –  uma patologia que acomete a parede dos vasos sanguíneos. Ainda encontramos uma importante relação com antecedentes de aneurismas na família.

Causas do aneurisma cerebral

Dentre as causas adquiridas, e aí existem várias delas que podem ser evitadas, temos:

  • Consumo excessivo de álcool; 
  • Aterosclerose;
  • Hipertensão arterial sistêmica;
  • Tabagismo; 
  • Uso de drogas ilícitas (cocaína e anfetamina, por exemplo);
  • Trauma;
  • Infecção (aneurismas micóticos);

Um diagnóstico preciso é extremamente importante, por isso os exames de imagens são capazes de caracterizar e planejar um tratamento das lesões aneurismáticas.

Exames para disgnóstico de aneurismas cerebrais

Tomografia Computadorizada (TC)

É um método não invasivo de diagnóstico do aneurisma cerebral que utiliza radiação ionizante, usado rotineiramente para avaliar as complicações como ruptura e consequente hemorragia subaracnoídea (HSA) ou hematoma do parênquima encefálico (tecido cerebral). Pode também ser suspeitados quando atingem grandes dimensões e/ou apresentem calcificações de suas paredes. Saiba mais neste link.

Ressonância Magnética (RM)

A ressonância é um método não invasivo realizado em campos magnéticos (ideal equipamentos de 1,5T e principalmente 3T) combinados a pulsos de radiofrequência. Assim como a TC são ferramentas da complementação do exame neurológico e podem avaliar as complicações decorrentes de um aneurisma cerebral, com mais precisão do que o primeiro, bem como a compressão sobre as estruturas neurais nobres e que causam sintomatologia- diplopia ou visão dupla, por exemplo. Muito usada na complementação do diagnóstico de aneurismas cerebrais.

Angiotomografia Computadorizada Multislice (Angio TC)

A Angio TC é um método não invasivo que utiliza radiação ionizante e obrigatoriamente contraste iodado, também utilizado para diagnóstico do aneurisma cerebral. Esse contraste é aplicado de forma intravenosa e ajuda a melhorar a visualização no momento do exame, avaliando os vasos cerebrais (artérias e veias), mostrando obstruções, estenoses, além das dilatações.

Angioressonância Magnética (Angio RM)

A AngioRM é um método não invasivo com as mesmas características técnicas da RM convencional e pode ou não ser realizada com o contraste paramagnético, uma grande vantagem em relação aos outros métodos de diagnósticos por imagem. Avalia com precisão o fluxo e morfologia dos grandes vasos intracranianos. Deve ser o método de escolha não invasivo para o rastreamento dos aneurismas cerebrais.

Angiografia Digital

Método diagnóstico e também terapêutico, um pouco mais invasivo, uma vez que geralmente é realizado em ambiente hospitalar ou de maior retaguarda. Necessita de radiação ionizante, contraste iodado e punção vascular em vaso do membro superior ou raiz da coxa. No entanto é o exame de padrão ouro para detecção de aneurismas, programação cirúrgica, além da possibilidade de tratamento endovascular.

Quer saber ainda mais? Leia o artigo do Dr. Drauzio Varella. Se você ficou com alguma dúvida, envie para nós.

Texto por: DR. RODRIGO ANDRÉ LIMA DE OLIVEIRA | CRM 104930-SP

Mega Imagem

A clínica Mega Imagem é referência no diagnóstico por imagem na Baixada Santista.