No artigo de hoje vamos entender um pouco mais sobre a AIDS e suas formas de tratamento.

O que é AIDS?

A AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida) é a doença proveniente do vírus HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana) que se caracteriza pelo enfraquecimento do sistema imunológico.

O vírus HIV ataca os glóbulos brancos, que são as células de defesa do corpo humano, os linfócitos T CD4+. São esses glóbulos que atacam uma bactéria dentro do organismo, quando estamos doentes, por exemplo, tentando combatê-la.

Quando o vírus entra na corrente sanguínea ele começa a atacar o sistema imunológico. Com isso, o sistema de defesa vai perdendo sua capacidade de defesa até o momento em que não aguenta mais responder adequadamente. Por isso, esses portadores começam a adoecer mais facilmente.

Neste momento, é imprescindível o uso dos medicamentos antirretrovirais, para combater a produção.

Há alguns anos era assustador receber o diagnóstico, mas hoje em dia é acessível o tratamento, é possível ser soropositivo e ter qualidade de vida.

Mas, precisamos entender há diferença entre ser portador do vírus HIV e ter AIDS. Há muitos soropositivos que não desenvolvem a doença e também não apresentam sintomas, porém continuam transmitindo o vírus.

Formas de transmissão

Entre as formas de transmissão, estão:

  • Sexo sem camisinha;
  • Uso de seringa por mais de uma pessoa;
  • Transfusão de sangue contaminado;
  • Da mãe infectada para seu filho durante a gravidez, no parto e na amamentação;
  • Instrumentos que furam ou cortam não esterilizados.

Dentro dessas formas de transmissão, está a transmissão conhecida como “vertical”, que consiste na contaminação de mãe para filho. Ele pode acontecer durante a gravidez, no parto ou na amamentação.

Porém, quando descoberto durante o pré-natal é possível iniciar o tratamento ainda na gestação e reduzir a 1% as chances de transmissão.

Este método também é utilizado com a sífilis.

Estudos sobre a possibilidade de cura da AIDS

Uma pesquisa da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), coordenada pelo infectologista Ricardo Sobhie Diaz, aponta que há uma possibilidade de cura para a Aids. Esse é o primeiro estudo, em escala global, a testar um super tratamento em indivíduos infectados pelo HIV.

Os estudos são para duas frentes de tratamento. Uma delas é uma vacina, onde o sistema imunológico reage e elimina as células infectadas. E outra frente, é o uso de medicamentos e substâncias que eliminam o vírus no momento da replicação das células, eliminando o HIV presente nelas.

Cerca de 30 voluntários participaram desta pesquisa. Todos eles com carga viral detectável e fazendo o uso do “coquetel” (conjuntos de remédios antirretrovirais). Eles foram divididos em grupos e foram feitas diversas combinações de remédios, além do coquetel.

As vacinas distribuídas são extremamente personalizadas, pois utilizam como base o vírus do próprio paciente. O subgrupo que recebeu o super tratamento aguarda a terceira dose da vacina. É preciso analisar os resultados de exames e o desafio final é a suspensão dos medicamentos. Somente assim, é possível verificar como o corpo se comporta e como o organismo irá responder ao longo dos meses ou até anos. Se depois disso, o vírus não retornar, pode-se falar em cura.

Enquanto ainda não há uma fórmula eficaz de cura é preciso alertar a população sobre a infecção. A maior forma de transmissão hoje, ainda é através de relações sexuais desprotegidas.

AIDS e covid-19

O site da UNAIDS possui mais informações sobre o cenário atual da covid-19 e a relação com a aids.

Já acompanha a MEGA nas redes sociais? Não deixe de acessar nosso Instagram  e Facebook.

Espero que tenha gostado desse artigo, até breve.

Rafaélla Mantovani

Comunicação e Marketing Digital na Clínica Mega Imagem.