RESSONÂNCIA MÚSCULO ESQUELÉTICO

JOELHO

A Megaimagem possui ressonância magnética com bobina específica multicanal de joelho em aparelho de alto campo (3 Tesla ou 1,5 Tesla), proporcionando imagens que permitem a detecção praticamente completa de todas as lesões musculoesqueléticas da articulação de Joelho (é o melhor e principal exame de imagem ). Porém, em algumas situações, onde há acometimento ósseo, a tomografia computadorizada de joelho tem sua utilização.

Entre as patologias detectáveis através da ressonância e tomografia estão:

  • rotura de menisco: para confirmar diagnóstico, avaliar a extensão e a qualidade das lesões e avaliar após o tratamento;
  • lesão de ligamentos do joelho (cruzados anterior e posterior, colaterais medial e lateral): para confirmar diagnóstico, avaliar a extensão e a qualidade das lesões e avaliar após o tratamento;
  • Fraturas ósseas de stress (fraturas que ocorrem por movimentos repetitivos novos que estimulam a musculatura sobrecarregando o osso)
  • Avaliação de tendões e músculos, cartilagem da articulação, bursas (são bolsas de líquido que envolve e, às vezes, se comunicam com a articulação).
  • A ressonância magnética, com bobina específica multicanal em aparelho de alto campo (3 Tesla ou 1,5 Tesla), proporciona imagens que permitem a detecção precoce de lesões anatômicas da cartilagem;
  • Mapa de cartilagem: através desse exame avaliamos quantitativamente e qualitativamente a perda de elementos químicos normais da cartilagem e prevemos e antecipamos as áreas de lesão devido a essa degeneração- esse moderno exame está disponível na Mega Imagem.

OMBRO

A Mega Imagem possui ressonância magnética com bobina específica multicanal de Ombro em aparelho de alto campo (3 Tesla ou 1,5 Tesla), proporcionando imagens que permitem a detecção praticamente completa de todas as lesões musculoesqueléticas do ombro

  • lesões do manguito rotador, que é um grupo de músculos e seus tendões que estabiliza e movimenta o ombro;
  • pode avaliar causas de dores e perda de função como a tendinite e rupturas do músculo bíceps, depósitos de cálcio secundários a doenças sistêmicas, doenças inflamatórias da articulação e tumores.
  • quando o paciente tem dor ou perda de função e o exame é normal, reforça para o médico o diagnóstico da síndrome miofascial dolorosa, causa frequente de ausência no trabalho, permitindo o tratamento específico (que é totalmente diferente de tendinite outras alterações inflamatórias, permitindo uma recuperação mais rápida do paciente).
  • é o principal e melhor método no diagnóstico e avaliação da instabilidade glenoumeral, que é causado por lesões ósseas e ou ligamentares decorrentes de trauma, levando ao deslocamento do ombro (geralmente anterior)– são os casos que o paciente diz que o ombro sai do lugar.

A Mega Imagem possui ressonância magnética com bobina específica multicanal de tornozelo e pé em aparelho de alto campo (3 Tesla ou 1,5 Tesla), proporcionando avaliação complementar em lesões que, muitas vezes, o raio-x simples não é suficiente para avaliação.Portanto, a ressonância e a tomografia são necessárias para mais detalhes.

As lesões incluem contusões, fraturas ocultas e fraturas de stress. As fraturas de stress são secundárias a esforços repetitivos de uma atividade geralmente nova ou diferente, o que leva a uma hipertrofia do músculo que força o osso levando a fraturas. Também podem ocorrer as fraturas por insuficiência como quando o osso esta frágil, por exemplo, no caso da osteoporose. Em algumas situações, onde há acometimento ósseo, a tomografia computadorizada também pode ser utilizada.

QUADRIL

A articulação do quadril pode envolver inúmeras patologias secundarias a trauma, infecção, necrose avascular, neoplasias. As anomalias congênitas ou de desenvolvimento não são facilmente diagnosticadas. O raio-x simples tem certas limitações como, por exemplo, a sobreposição de estruturas ósseas, porem a ressonância magnética e a tomografia computadorizada podem avaliar melhor as partes moles.

Anomalias congênitas e anomalias de desenvolvimento  – Pode ser avaliada com ultrassom e raio-x em estágios iniciais, porém pode utilizar a ressonância em crianças mais velhas

Anomalias sinoviais (membrana que secreta o líquido sinovial que lubrifica as articulações) podem ser secundárias a processos inflamatórios das articulações; secundária a doenças infiltrativas como sinovitevilonodular pigmentada, que e uma doença familiar que ocasiona um hiperdesenvolvimento da sinóvia, e associado à deposição de um pigmento que se chama hemossiderina.Podem ocorrer também anomalias da sinóvia por amiloidose (doença em que ocorre depósito anormal de um tipo de proteína normalmente não produzida pelo corpo).

Infecção – As manifestações de infecção no raio-x de infecção ocorrem muito tardiamente, retardando o tratamento.Atualmente, a ressonância magnética pode localizar e avaliar a extensão dos focos de infecção (se envolve somente a parte óssea, músculos ou articulações).

Trauma – comum após acidentes de carro,a tomografia computadorizada pode avaliar melhor o trauma e para casos em que os exames de raio-x são normais.Porém, se ainda restam dúvidas, podemos lançar mão da ressonância magnética.

Neoplasias – os tumores podem envolver tanto a parte óssea quanto as partes moles

Podem ser malignos ou benignos.

PUNHO

A Mega Imagem possui ressonância magnética com bobina específica multicanal de punho em aparelho de alto campo (3 Tesla ou 1,5 Tesla), proporcionando imagens que permitem a detecção praticamente completa de todas as lesões musculoesqueléticas do punho.

TUMORES MÚSCULO ESQUELÉTICOS

A ressonância magnética e a tomografia computadorizada são uteis na avaliação de tumores, principalmente em área onde a anatomia é mais complexa como, por exemplo, na coluna, pelve, escapula e lesões junto a articulações.

Com a melhora do tratamento quimioterápico a avaliação cuidadosa da extensão e do tipo de lesão é fundamental para o planejamento da conduta.

Existem os tumores benignos; por exemplo,encondromas, condroblastoma ,osteocondroma, osteomaosteóide, tumor de células gigantes e existem os tumores malignos; por exemplo, mieloma múltiplo e o condrosarcoma.

Também temos os tumores benignos dos tecidos moles como o lipoma, anomalias vasculares e o tumor desmóide e os malignos como o liposarcoma, por exemplo.