Covid-19 e as síndromes SARS e MERS

covid-19

Desde dezembro o mundo vem sofrendo com a pandemia  causada pelo COVID-19. Causado por um novo vírus SARS-CoV-2, devido a sua similaridade com a Severe acute Respiratory Syndrome Coronavirus (SARS-CoV).

Nas últimas duas décadas o mundo vem sendo afetado por epidemias graves,  como a Severe Acute Respiratory Syndrome Coronavirus (SARS-CoV) em 2002 -2003 e a Middle East Respiratory Syndrome Coronavirus (MERS- CoV) em  2012, ambos resultando em uma alta mortalidade, de 10 e 35 % respectivamente.

Hoje, vamos entender quais são os sintomas dessa doença e os possíveis danos ao sistema nervoso.

SARS, MERS E COVID-19

Todas as três infecções tem um amplo espectro de manifestações clínicas desde doença leve a severa, podendo levar até a falência respiratória.

Existem casos descritos de acometimento neurológico nas três doenças.

Mas, o coronavírus humano tem afinidade com neurônios e uma capacidade neuro invasiva.

Isso pode causar inflamação no cérebro e na medula, ou seja, as raízes nervosas levam a mensagem do cérebro até o resto do corpo com os membros sendo detectado vírus no sistema nervoso nesses casos.

Sintomas das síndromes

O vírus pode percorrer o sangue ou pelos nervos periféricos,  até chegar no sistema nervoso central.

Os sintomas iniciais de SARS, MERS e COVID-19 inclui sintomas neurológicos não específicos.

A SARS pode causar febre, tosse, mialgia, dispnéia e dor de cabeça. Em aproximadamente 20% dos pacientes  pode haver complicação pela síndrome da dificuldade respiratória.

Pode acometer também o intestino e os rins. Além de dar diarréia, vômitos, tontura , mal estar geral e confusão.

Já a MERS pode apresentar os sintomas de secreção nasal, dor de garganta, febre baixa, mialgia. Pode também ocorrer sintomas respiratórios, gastrointestinais, insuficiência renal aguda em casos graves, assim como manifestações neurológicas.

Entretanto, o COVID-19 pode dar febre, tosse, dor de garganta, dor de cabeça, fadiga, mialgia, anosmia e falta de ar. Além disso, pode envolver múltiplos órgãos além dos pulmões e até levar a morte devido ao extremo processo inflamatório.

Manifestações Neurológicas

As manifestações neurológicas da SARS incluem crises de epilepsia, desordens neuromusculares, com diminuição da força muscular que pode ser secundária a resposta imune contra o SARS – CoV.

Além disso, os acidentes vasculares cerebrais, o derrame , pode ocorrer porque a infecção pode alterar a coagulação e levar a obstrução dos vasos que levam oxigênio ao cérebro.

Ou seja, eventualmente um acidente vascular  cerebral pode ocorrer devido ao tratamento com imunoglobulinas via endovenosa, que são anticorpos que atacam o vírus e podem deixar o sangue mais viscoso aumentando a chance de entupimento dos vasos.

Contudo, existem casos de síndrome da SARS crônica que é caracterizada por fadiga, mialgia difusa, fraqueza, depressão, distúrbios do sono.

Porém, alguns autores sugerem que a fadiga e o mal estar crônicos podem estar associados a disfunção do sistema nervoso e essa fadiga crônica pode ocorrer meses após a doença aguda.

Além disso, na MERS o envolvimento do sistema nervoso central é excepcional, na maioria das vezes devido a resposta inflamatória que pode levar ao corpo a atacar as próprias células do sistema nervoso além do vírus.

Em um estudo retrospectivo foi levantado que em 25% dos casos, os pacientes com MERS podem desenvolver confusão e 8,6% desenvolvem convulsões.

Isso, pode estar relacionado a infecção do cérebro e pode haver inflamação dos vasos do cérebro levando a acidentes vasculares cerebrais (derrames).

Por que ocorre dano cerebral?

Esse dano no cérebro pode ocorrer pela alteração da parede dos vasos que levam oxigênio ao cérebro.

A obstrução dos vasos ocorre porque a doença pode levar a um estado de aumento da coagulação, que podem levar a derrames, hemorragia intracerebral. Esses casos podem estar associados a uma alta mortalidade.

Portanto, essas três doenças SARS-CoV, MERS-CoV  e SARS-CoV-2 tem semelhanças e diferenças.

É importante sempre avaliar rapidamente caso haja acometimento cerebral, para que seja tomada uma conduta rápida. Isso evita lesões no sistema nervoso, por tratamento inadequado.

Você sabia que o coronavírus também deixa sequelas ao coração, leia mais.

Já acompanha as nossas redes sociais? Não deixe de acessar nosso Instagram  e  Facebook.

Espero que tenha gostado desse artigo, até breve.

publicado
Categorizado como Coronavírus

Por Rafaélla Mantovani

Comunicação e Marketing Digital na Clínica Mega Imagem.